Projeto Esperança

PENSARA, PAQUISTÃO

PENSARA, PAQUISTÃO

Já sabemos que a vida dos cristãos nesta região do mundo é longe de ser fácil. Mas esta aldeia do Cristo-Rei é também um vivo sinal de esperança. A ajudar, como nós o fazemos é uma forma de mostrar a nossa solidariedade (LINK). 

Mas agora damos lugar à entrevista, feita em janeiro de 2020 com o padre Emanuel Parvez  (ver o vidéo em inglês mais abaixo) :

Padre Emanuel Parvez (PP): antes de mais nada, queria agradecer aos meus amigos, padre Antoine e aos outros membros da Casa do Espírito Santo que nos ajudaram a construir várias casas e a pagar os salários dos professores. Estou muito feliz com a vossa ajuda. Quero também confirmar que isso irá contribuir para as casas que temos planeadas, 200 ao todo, uma aldeia inteira. 

Padre Antoine Coelho (PC): e quantas casas construiram até o momento ?

PP : nos constuimos 65. Isso significa que 65 famílias têm uma habitação, com uma casa de banho, uma cozinha. Desta forma podem começar uma nova vida com dignidade e respeito. 

PC : quais eram as condições de vida destas famílias antes da edificação ? 

PP : estas famílias viviam em bairros de lata com muitas doenças. Mas agora que chegaram nesta bonita aldeia as criança podem finalmente ir para a escola. 

Bairros de lata no Paquistão

PC : e qual é o preço de cada uma destas casas ? 

PP : eu diria que podemos construir uma óptima casa entre os 8.000 e 10.000 euros. Uma casa com duas salas, uma casa de banho e uma cozinha.  

PC : parece-me que antes era 7.000 euros. 

PP : sim, é verdade

PC : O que está a acontecer?

PP : O novo governo aumentou muito os impostos.  Tudo está muito mais caro. A inflação é muito elevada no Paquistão. 

PC : pois.

As novas casas

PP : mas gostaria muito de falar de um outro projecto. 

O torneio.

Todos os anos convido várias equipas de futebol de todas as regiões do Paquistão. Assim, cada ano damos comida, teto e transporte.

E durante uma semana, temos paz e harmonia. Tudo isso é feito para afastar a juventude do terrorismo, das drogas, da violência e convidá-los a viver em paz com as pessoas que professam religiões diferentes.

Cada um demonstra respeito pelos outros e as suas crenças. 

O torneio

PC : isso quer dizer que utilizam este torneio de futebol com jogadores professando diferentes religiões para trazer uma nova mentalidade de paz e harmonia no Pakistão ?

PP : é isso mesmo. O objectivo deste torneio é juntar Hindus, Musulmanos e Cristãos para que todos possam viver em paz nesse país. Queremos nos afastar do terrorismo e da violência. 

PC : e as equipas vem do Panjab (região do Paquistão) ?

PP : há 5 regiões no Paquistão. no norte temos o Khyber, o Baloutchistão ao sul, temos o Sindh e o Gilgit Baltistão, e no centro, o Panjab.  A equipas representam o Paquistão na sua totalidade.

PC : isso inclui também as regiões mais conhecidas por causa do fanatismo religioso ?

PP : isso está correto.  Também temos equipas destas mesmas regiões. Os jogadores confirmaram que quando estão nas suas regiões de origem não conseguem sequer caminhar em paz e liberdade.

Mas aqui, encontraram um porto de paz e liberdade. 

Querem o mesmo para todo o Paquistão. 

PC : pode nos dar o testemunho de jovens Musulmanos que participaram neste torneio? 

PP : sim, alguns dos Musulmanos vem do Baloutchistão, perto da fronteira com o Afganistão. Já confidenciaram que o torneio abriu-lhes os olhos. 

O melhor presente que Deus pode oferecer é a Paz. 

Todos devemos a proteger.

PC : quando é que começou com este torneio ?

PP : começamos no ano 2.000. Este ano, em janeiro, será o vigésimo aniversário do torneio.

PC : e começaram com quantas equipas ? 

PP : primeiro, começamos com 8 equipas. Depois foram 16. A seguir 32. Este ano 60 querem participar ! Não sei como as receber todas ! Talvez deveremos fazer jogos amigáveis primeiro. Este torneio está a tornar-se cada vez mais importante.  E cada vez mais pessoas aparecem. 

PC : qual é a atitude das autoridades religiosas e civis ?

PP : convidei Imans, Mullahs, políticos, o Nonce, os bispos. São todos felizes por vir. Saem todos transformados pelo ambiente daqui. O Nonce já me fez saber que queria ficar mais tempo entre nós. É um torneio tão bonito. 

Dois amigos ingleses confirmaram que era o melhor que podemos fazer nesta altura. 

PC : comentou comigo que o seu sonho era trazer aqui uma equipa de jovens jogadores da Europa.

Quer me dizer mais acerca deste projeto ?

Tem algo a dizer para os jovens da Europa ?

PP : gostaria de convidar jogadores europeus para ver a beleza e a paz no Paquistão. A grande maioria da população só quer viver em paz.